Anais da 30aRBA
ISBN n° 978-85-87942-42-5

MR020. Instituições religiosas, direitos e novas configurações familiares: construções do laico e do religioso no Brasil

A emergência de discursos que conectam religião e sexualidade é notável na cena pública em face de debates sobre direitos sexuais e reprodutivos. Tais discursos emergem a partir de um contexto amplo de transformações sociais e culturais relativas às dinâmicas de alteração do religioso na contemporaneidade, da luta politica de minorias sexuais na sociedade brasileira, das mudanças nas configurações familiares e nas relações de gênero, da gestão da vida íntima, das condutas e das identidades. No Brasil, fatos recentes como a Decisão do Supremo Tribunal Federal e do Conselho Nacional de Justiça relacionados à união de casais de mesmo sexo, sinalizam para novos desdobramentos e tensões no que se refere ao reconhecimento das populações gays e lésbicas, ensejando respostas de distintos segmentos sociais. Em meio a essa trama social se entrelaçam discursos produzidos nos campos da política, da ciência, do direito, das mídias, das instituições religiosas que sinalizam para a construção de novas éticas sexuais. Essa mesa redonda coloca em debate o modo como se relacionam praticas religiosas e certas agendas políticas recentes no campo dos direitos sexuais como a união civil e o casamento igualitário, a (homo) parentalidade e a formação das novas famílias, em um cenário de pluralismo religioso. Parte da hipótese de que se entrelaçam religiões, linguagens do direito e demandas dos movimentos coletivos na produção de configurações da subjetividade, das identidades e das sensibilidades.

Naara Lúcia de Albuquerque Luna (DCS e PPGCS, UFRRJ)
(Coordenador)
Marcelo Tavares Natividade (Universidade de São Paulo)
(Participante)
Leandro de Oliveira (Universidade Federal de Minas Gerais (Departamento de Antropologia e Arqueologia, DAA/ UFMG))
(Participante)
Alessandra de Andrade Rinaldi (Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro)
(Participante)


Uma família igual a todas? Diversidade sexual, parentalidade e produção dos sujeitos em igrejas inclusivas

Autor/es: Marcelo Tavares Natividade
A comunicação analisa discursos sobre casamento igualitário e famílias gays e lésbicas em igrejas evangélicas inclusivas, explorando o entrelaçamento entre cuidado pastoral e certos processos de subjetivação. Parte do recorrente testemunho de experiências de casamento, pactos de união civil, reprodução e adoções na mídia, nos púlpitos e em espaços políticos plurais. A crescente presença de crianças nessas igrejas e de ministérios de cuidado pastoral infantil indicam a presença de um ethos familista (Mello, 2005) nas igrejas inclusivas, que se faz acompanhar da pluralização de experiências de parentalidade. Focalizarei a trajetória de um casal de lésbicas que encontra em uma dessas igrejas espaço e suporte para a invenção de si como uma família gay. Pretendo realçar estratégias de produção de identidades coletivas, examinando se/como ideias de normalidade se conectam ao ethos religioso.
Trabalho para mesa redonda