Anais da 30aRBA
ISBN n° 978-85-87942-42-5

MR003. Antropologia & Cinema: diálogos latino-americanos

Considerando que nos últimos anos a antropologia, tanto no Brasil quanto no exterior, tem se voltado cada vez mais para o cinema, e a partir das mais diversas perspectivas, esta mesa-redonda propõe reunir pesquisadores latino-americanos que estudam as múltiplas relações entre Antropologia & Cinema. Entendendo que o dispositivo cinema constitui um fenômeno significativo de nossa época, que desvela, em imagens e sons, as utopias e distopias contemporâneas, os trabalhos de Pedro Mege (PUC/Chile), Francisco de La Peña (ENAH/México) e Eliska Altman (UFRRJ/Brasil) tratarão de discutir certas implicações políticas e epistemológicas sobre interpretações de mundos sociais a partir de etnografias do cinema. Inserindo-se no quadro de estudos sobre a contemporaneidade e os novos procedimentos de construção de sentido, essa discussão tem como eixo central a ideia de que o cinema é constituído também pelo não visível – pelo dizível e o indizível –, sendo imprescindível enfocar a complexa teia de relações que conformam seus múltiplos significados.

Debora Breder Barreto (UCP)
(Coordenador)
Pedro Ramiro Mege Rosso (Universidad Católica de Chile)
(Participante)
Francisco de la Peña Martínez (Escuela Nacional de Antropologia e Historia)
(Participante)
Eliska Altmann (UFRRJ)
(Participante)
Ruben Caixeta de Queiroz (UFMG)
(Debatedor)


“Critificação”: conceito e empiria. O caso da crítica cinematográfica latino-americana.

Autor/es: Eliska Altmann
Idealizado pelas sociólogas Roberta Shapiro e Nathalie Heinich, o conceito de “artificação” nos dá suporte para a fundamentação de outro: “critificação”. Enquanto o primeiro trata de descrever quando e em quais circunstâncias ocorre o processo artístico e seu engajamento com o mundo social, em que expressões e objetos se tornam arte, o segundo compreende o campo da crítica cinematográfica e seu constante processo de legitimação. Com isso, não entendemos a crítica como instituição a participar do processo de “artificação” de certos tipos e autores cinematográficos, mas como ela própria participa (e se insere) em um discurso ou “quadro” artístico. Com base numa pesquisa realizada com críticos latino-americanos, discutiremos a “critificação” como um conceito a envolver movimentos de auto-legitimação, supondo que agentes se autocanonizam e questionam concomitantemente.
Trabalho para mesa redonda

El cine a la luz del análisis antropológico

Autor/es: Francisco de la Peña Martínez
El objeto de esta ponencia es ofrecer una reflexión sobre los alcances y el sentido de una antropología del cine. Se plantea la posibilidad de abordar, con las herramientas conceptuales y metodológicas de la antropología, las distintos dimensiones culturales del fenómeno del cine, desde la producción y el consumo por parte de los públicos hasta los corpus cinematográficos (géneros, obras o tradiciones nacionales) tomados estos últimos como documentos etnográficos de primer orden.
Trabalho para mesa redonda